31 de julho de 2012

Lares com apenas um dos pais

Hoje eu estava lendo a bíblia e me deparei com um assunto que gostaria de compartilhar com vocês: filhos que vivenciam o cotidiano com a presença de apenas um dos pais.
A presença de apenas um dos pais no lar está muito comum atualmente, e pode ser decorrente de vários fatores como viuvez, divórcio ou separação prolongada (como nos casos em que um dos pais permanece por longos períodos fora de casa em viagens de trabalho). É aí que um dos dois tem q ser pai e mãe ao mesmo tempo, dedicar atenção, carinho e amor, além de outras tarefas como cuidar da casa e tempo para si mesmos.
Na ausência de um dos pais, os filhos se apegam e passam a imitar e defender aquele com quem convivem, seja o pai ou a mãe. É por isso que este pai ou esta mãe tem forte responsabilidade e influência sobrada para com seus filhos. Ao confiar no Senhor e obedecer à Palavra de Deus, esse pai ou essa mãe estará dando aos seus filhos um exemplo a ser seguido e criando vínculos familiares fortes.
Ser mãe ou pai solteiro pode parecer difícil, mas não é impossível. Deus sabe da responsabilidade tremenda que recai sobre os pais e mães sozinhos e Ele é capaz de suprir todas as necessidades dos filhos e do pai ou da mãe responsável por eles.
Algumas práticas podem ser de grande ajuda para mães e pais que estão aducando seus filhos sozinhos:
  • Reservar tempo para ler a bíblia todos os dias a fim de receber orientação divina, especialmente em períodos de maior tensão e reservar tempo para o culto familiar.
  • Reservar tempo para o lazer e a comunicação.
  • Frequentar a igreja com regularidade e participar ativamente nas programações a fim de receber cuidado espiritual e emocional para si e para os filhos por meio da sociabilização com outros crentes.
  • Manter a tranquilidade. Isso passa segurança para o filho (a) e ajuda a resolver situações de conflito. O importante é ficar bem, nada de sentimentos de solidão, tristeza ou abandono, isso interfere muito no crescimento da criança.
  • Manter vínculos com os familiares ajuda a criança a formar suas referencias e contruir sua personalidade.
  • Dividir as tarefas com uma pessoa de confiança de preferência íntima. Ser pai ou mãe sozinhos não significa que é preciso ficar totalmente solitário(a). Ter ajuda de alguém, faz com que a mãe ou o pai estejam mais tranquilos.
  • Não omita para a criança o motivo de ter um dos pais ausentes. Isso deve ser dito em uma linguagem apropriada, respeitando o tempo necessario para que a criança entenda toda a verdade, principalmente em casos de divórcio ou viuvez, sem passar os sentimentos negativos
  • Se os pais são casados mas um deles permanece muito tempo fora, quando presente no lar deve exercer sua autoridade como pai e passar tempo em família. Em casos de divórcio, é importante que a criança se relacione com o pai (geralmente as crianças ficam com a mãe), essa convivencia é muito importante e também permite que a criança o conheça e tire suas próprias conclusões.
  • Administre bem os gastos e tenha sempre uma quantia guardada para casos de emergência.
  • Se a criança frequenta à escola, é de suma impotância que o responsável esteja acompanhando o desempenho do filho.
Mesmo sem a presença de um dos pais a criança pode crescer feliz e estruturada emocionalmente

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre o que você gostaria de ler?