14 de agosto de 2016

Relato de Amamentação | Nícolas


Recentemente tivemos a #SMAM 2016 (Semana Mundial do Aleitamento Materno) e por isso quero compartilhar minha experiência na esperança de que meu relato ajude e empodere outras mães. 
Eu sempre quis amamentar. Acontece que com o Nicolas (meu primeiro filho) tudo que podia dar errado para contribuir com o  desmame precoce, deu. 
Na época eu até dividi minha dor aqui no diário e depois disso nunca deixei de buscar mais informações procurando por respostas .
Nícolas teve uma bactéria na boca (gengiva) que atrapalhou a amamentação. Na verdade eu nem sabia que o dodói da boca estava relacionado ao fato dele não querer mamar. Acredito que a pediatra também não porque disse não saber o que era o dodói, não receitou medicação nem mesmo passou nenhuma orientação. 
Outro pediatra prescreveu complementação porque ele acabou perdendo um pouco de peso. E em consequência de tudo isso a produção de leite diminuiu e houve confusão de bicos. 
Foram dias muito difíceis de muita luta, sem apoio e orientação de profissionais. Até que um dia, pensei que não tinha mais solução é desisti de lutar para amamentar. 

Como eu disse no começo, eu queria saber onde deu errado e comecei a buscar por respostas.
Depois de muito tempo descobri que a bactéria foi causada por uso constante de concha e absorvente de seio que mantinham a mama umedecida e abafada ocasionando fungos. 
O leite artificial poderia ser oferecido com um copo ou colher ao invés de mamadeira para que não houvesse confusão de bicos. 
A chupeta também atrapalhou pois o tempo que ele poderia estar sugando o seio para aumentar a produção de leite, ele estava sugando a chupeta que por sinal tem a pega diferente da pega do seio. Isso também contribuiu para a confusão de bicos.
Eu teria conseguido a relactação se na época eu tivesse a luz que tenho hoje e conhecido os profissionais que agora conheço. 
Nícolas passou a mamar leite artificial e mesmo assim nunca foi uma criança gordinha. Provando mais uma vez que meu leite não era fraco como ouvi do próprio pediatra desatualizado. Esse é simplesmente o biotipo dele.
Ficou em mim o desejo de poder amamentar novamente. Breno nasceu e assim como todo começo o nosso também não está sendo fácil. Mas a diferença é que agora me sinto mais preparada. 
Eu sinto no meu coração que posso ajudar outras mães com tudo que passei e aprendi. Eu sei bem o que é desejar amamentar e ser desencorajada na primeira dificuldade pelos próprios profissionais.
Quero fazer outro post contando sobre o início da amamentação do Breno. Segue no insta. 
Se você vai começar a amamentar agora eu desejo do fundo do meu coração 
uma linda
LUA DE LEITE 
pra você.


Um comentário:

  1. Oi Débora, eu amamentei meus dois filhos, é algo inesquecível, mas também muito difícil e algumas vezes até doloroso, mas vale muito a pena e depois, tudo passa, inclusive as dores, dificuldades, medos e confusões.
    O vínculo entre mãe e filho e todos os benefícios que somente o leite materno pode oferecer aos nossos filhotes, não tem preço!
    Desejo à você e ao Breno dias de muitas alegrias e descobertas durante a amamentação!
    Beijinhos... Fiquem com Deus.

    ResponderExcluir

palavra chave